Sede de Justiça

DEFINIÇÃO DO PROGRAMA

Sede de Justiça é um programa da Secretaria Nacional do Trabalho da Adolescência que visa despertar o adolescente para realização de projetos sociais, fazendo diferença para criar, solucionar e transformar sua realidade através do poder de Deus. O programa trabalhará segundo a Missão da Igreja Presbiteriana do Brasil, que é a de anunciar o Reino de Deus, educar para a vivência cristã e assistir o ser humano em suas necessidades. Sede de Justiça é para aqueles que querem fazer a história acontecer, através do brilho intenso do nosso amado Sol da Justiça: Jesus!

 

 MOTIVOS PARA ADERIR AO PROGRAMA

– Os adolescentes precisam fazer a diferença em um mundo de caos, pois um dos maiores desafios na vida do cristão é ter Sede de Justiça.
– Os adolescentes contribuirão para que outras pessoas tenham a oportunidade de conhecer o Deus que é capaz de solucionar qualquer problema.
– A UPA terá a possibilidade de ajudar ao próximo, independente do que ele seja e de como esteja.
– Baixo custo.
– Vigor e disposição dos adolescentes para pregar o evangelho.
– Os adolescentes têm uma visão realista e prática, o que beneficiará o sucesso do programa.

 

OBJETIVOS

– Conscientizar os adolescentes de que eles são instrumentos de Deus para abençoar as pessoas.
– Atuar como apoio social para males espirituais, materiais e emocionais que a humanidade experimenta.
– Proporcionar ajuda ao próximo através de recursos humanos e materiais.
– Trabalhar no âmbito social, tendo como foco: auxílio, liberalidade e misericórdia.
– Possibilitar que os adolescentes atuem diretamente em sua realidade social, preparando-os para o exercício da cidadania e estimulando a prática da cordialidade cristã.

 

QUEM ORGANIZA

O Secretário Sinodal (se feito pela Confederação Sinodal) ou O Secretário Presbiterial (se feito pela Federação do Presbitério) ou O conselheiro/orientador junto ao pastor (se feito por UPA de uma igreja local).

 

QUEM PARTICIPA

– A Federação ou Confederação da União de Adolescentes, representada pela UPA local, na pessoa de seus líderes.
– Adolescentes que forem voluntários participantes e atuantes na UPA local.

 

FOCO PRINCIPAL

O tempo todo encontramos pessoas que riem, choram, sofrem e amam, mas que muitas vezes, a única luz que conseguem ver no final do túnel é a de um trem vindo em sua direção. É neste mundo de caos que o programa fará a diferença, pois um dos maiores desafios na vida do cristão é ter Sede de Justiça para que outras pessoas tenham a oportunidade de conhecer o Deus que além de salvar, trata e cuida do ser humano.

 

ETAPAS DO PROGRAMA

Para que o programa seja bem-sucedido, é fundamental contar com a aprovação e o acompanhamento do pastor e líderes. Em paralelo, o roteiro abaixo deverá ser seguido:

I) Elaborar a justificativa do programa, atentando para os motivos pelos quais o mesmo deverá ser adotado.
II) Formular objetivos:
a) Geral – linha geral de atuação, idéia principal.
b) Específicos – linhas específicas de atuação, operacionalização do programa.
III) Definir as metas a serem alcançadas, criando um cronograma.
IV) Caracterizar a população a ser beneficiada, decidindo em quais lugares e com quais pessoas os adolescentes trabalharão.
V) Sistematizar os métodos para ação, ou seja, escolher quais as técnicas, recursos e procedimentos serão utilizados e disponibilizados para a execução do programa.
VI) Administração e organização, no que concerne à gestão do programa, definição de linhas de atuação e distribuição de tarefas.
VII) Listagem e arrecadação dos recursos necessários: – humanos, – financeiros, – área física, – equipamentos / materiais.
VIII) Elaborar uma planilha de custos.
IX) Supervisão, acompanhamento e revisão do programa, visando a que todas as metas e objetivos sejam atingidos, e se necessário, replanejados.

 

METODOLOGIAS A SEREM EMPREGADAS

O Programa tem a missão de tratar, cuidar e transformar a história de vida de muitos que estão seu redor dos adolescentes e da Igreja. Para tanto, sob orientação do pastor e conselheiros, é preciso reunir a UPA local e fazer uma pesquisa na comunidade, verificando as maiores necessidades ali encontradas. Após esta sondagem inicial, o programa poderá ser efetivado mediante os seguintes procedimentos:

– Reforço Escolar,
– Lazer e recreação orientada,
– Programas culturais: – Biblioteca, – Teatro, – Música.
– Doação de roupas e alimentos – as doações devem ser destinadas a instituições reconhecidas e autorizadas;
– Campanha de doação de brinquedos para crianças;
– Alfabetização de jovens e adultos;
– Campanha de doação de cestas básicas;
– Campanha de doação de material escolar;
– Teatro, música e palestras, visando prevenção às drogas.
– Programa de saúde básica, com palestras e orientações sobre higiene, vacinação, alimentação e prevenção de doenças.

 

METAS A SEREM ATINGIDAS COM O PROGRAMA

– Pôr em prática o amor ensinado e exemplificado por Cristo – “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” Marcos 12.31;
– Exercer misericórdia e compaixão – “Pois misericórdia quero e não sacrifício..” Oséias 6.6;
– Atuar com responsabilidade social – “… Porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber…” Mateus 25.34-40;
– Desempenhar as virtudes concedidas por Deus a todas as pessoas, para o bem da comunidade – “Para o bem de todos, Deus dá a cada um alguma prova da presença do Espírito Santo” I Co. 12.7.

Se você e sua UPA estão atrás de ideias interessantes para desenvolver o Projeto Sede de Justiça, proposto pela Confederação Nacional de UPAs, segue abaixo um site encaminhado por líderes de UPAs que nos informaram a respeito disso. “O projeto Sede de Justiça está aí para ajudá-lo a estender o amor de Cristo a essas pessoas tão carentes.Com ideias simples, mas bem eficazes, você, sua igreja e sua UPA podem fazer grande diferença na vida de várias pessoas.” Visite http://tilz.tearfund.org/portugues.

Projetos que podem ser desenvolvidos pelos adolescentes:

– Reforço Escolar;
– Programas de atenção a: portadores de deficiência, portadores de câncer, crianças/adolescentes vítimas de violência e maus tratos, crianças/adolescentes de rua ou na rua, mendigos, asilos, orfanatos;
– Programa de saúde básica;
– Programa de Lazer e recreação orientada;
– Programa de Assistência alimentar;
– Programa cultural: biblioteca, teatro, música;
– Doação de roupas e alimentos;
– Campanha de brinquedos para crianças etc.